Home / Notícias / A importância da nutrição das plantas: produtividade e qualidade

A importância da nutrição das plantas: produtividade e qualidade

Na composição química de uma planta, a distribuição entre os elementos químicos é desproporcional: água, carbono, oxigênio e hidrogênio são responsáveis por 99% do total, enquanto os nutrientes minerais respondem por algo em torno de 1% no material verde ou cerca de 5% na matéria seca. Contudo, isso não significa que eles sejam menos importantes na natureza, ao contrário, sem a contribuição dos nutrientes simplesmente não existiria vida no mundo vegetal.

Os nutrientes são a base da cadeia alimentar. “São os nutrientes, que regulam o metabolismo da planta, que formam a base da produção vegetal para alimentar diretamente o homem ou o gado e, consequentemente, alimentar indiretamente o homem com proteína animal”, afirma Dr. Hélio Grassi Filho, Professor Titular do Departamento de Nutrição Mineral de Plantas e Recursos Ambientais da Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), em Botucatu, SP.

Existem dois grupos principais de nutrientes: os macronutrientes (nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e enxofre), que as plantas exigem em grandes quantidades, e os micronutrientes (boro, cloro, cobre, ferro, manganês, molibdênio, níquel e zinco) que, embora exigidos em menores quantidades, são tão relevantes quanto os demais. Outros elementos, como cobalto, selênio, silício e sódio, são considerados nutrientes benéficos.

Segundo Dr. Hélio Grassi Filho, os nutrientes são essenciais para que a planta atinja seu estágio de maturação e garanta a reprodução. Cada elemento mineral desempenha uma função específica no metabolismo da planta, assegurando sua qualidade estrutural e fisiológica.

A nutrição é o alicerce da produção agrícola. “É interessante ressaltar que o ato de nutrir a planta afeta diretamente a sua produtividade. A falta de um elemento pode resultar em queda brusca na produção. Com o adequado manejo dos nutrientes há manutenção e aumento da produtividade não apenas em termos quantitativos, mas também qualitativos, agregando valor ao produto no mercado”.

Tome-se como exemplo os alimentos funcionais, que proporcionam diversos benefícios à saúde do consumidor. A soja, que produz a isoflavona e a lecitina, importantes compostos funcionais com atividade estrogênica, principalmente para as mulheres na menopausa, depende dos macro e dos micronutrientes em quantidades suficientes e equilibradas no solo para realizar as diversas reações bioquímicas e fisiológicas que culminam no acúmulo desses compostos.

“A existência desses grupos de alimentos demonstra a importância da nutrição para as culturas. O que promove a sua funcionalidade é justamente a presença dos nutrientes dentro da planta”, conclui Dr. Hélio Grassi Filho.

Para manter o solo fértil e a alta produtividade de novos cultivos, os nutrientes precisam ser repostos. Os fertilizantes cumprem o papel de alimentar a planta, o que é essencial para o seu desenvolvimento. “Fertilizante é Vida e Paz, pois onde não há alimento, há guerra”, enfatiza David Roquetti Filho, diretor da Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA).

A adubação é um importante elemento dos custos de produção. Assim, para promover retornos adequados sobre os investimentos, os fertilizantes devem ser aplicados corretamente, de modo a atingir alta eficiência. Exceder o fornecimento de nutrientes, além do que a planta realmente precisa, representa desperdício e prejuízo ao agricultor.

“Com o emprego da análise química do solo e da planta pode-se balancear os nutrientes em prol de uma excelente produtividade e gastos reduzidos, alcançando-se o sucesso”, completa Dr. Hélio Grassi Filho.

Cada nutriente requer um modo diferenciado de adubação. Geralmente, o fósforo é aplicado próximo à raiz, no plantio, já o nitrogênio e o potássio são aplicados em faixa ou em cobertura, na forma granulada ou em pó, ou misturados à água de irrigação. O cálcio e o magnésio são distribuídos em área total, para correção do solo por meio de calagem. Existem outras técnicas de adubação, como a utilização de material orgânico, de resíduos da indústria ou da compostagem de esgoto e de lixo urbano, que são incorporados ao solo. Assim, a fertilização fornecerá os nutrientes necessários para suprir as necessidades da planta ao longo do seu ciclo de vida.

“Todo ser vivo necessita de nutrientes para o seu desenvolvimento. Eles são incorporados ao seu metabolismo para manter o ciclo vital. Portanto, as plantas também precisam de nutrientes e é justamente nos fertilizantes que eles se encontram”, completa Dr. Luís Ignácio Prochnow, Diretor do Instituto Internacional de Nutrição de Plantas do Brasil (IPNI).

A iniciativa Nutrientes Para a Vida (NPV), segmento brasileiro do programa americanoNutrients for Life, foi criada com o intuito de esclarecer a sociedade sobre os benefícios do uso dos fertilizantes na qualidade e na segurança da produção de alimentos.

NPV atua somente com informações embasadas cientificamente, de modo a explicar claramente o papel essencial dos diversos tipos de fertilizantes na segurança alimentar e nutricional, além de seu efeito multiplicador na produtividade de culturas, conforme explica Dr. Heitor Cantarella, diretor do Centro de Solos do Instituto Agronômico de Campinas e coordenador da iniciativa Nutrientes para a Vida.

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) alerta população sobre importância de diagnóstico precoce de doenças reumáticas

São mais de 120 doenças reumáticas, que têm a inflamação e dor nas articulações como …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas