Home / Notícias / Avaliação de Tecnologias em Saúde

Avaliação de Tecnologias em Saúde

Quanto você pagaria por um ano a mais de vida?

Com essa pergunta Dr. Otávio Clark faz sua explanação sobre Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS)

A primeira palestra foi a do Dr. Otávio Clark, sobre Avaliação de Tecnologias em Saúde. O doutor usou um caso bem emblemático da atualidade, o de Angelina Jolie, para mostrar, que para compreendermos melhor a ATS, devemos ter uma visão “desapaixonada” da história. Apesar das críticas, a atriz tomou a decisão clinicamente correta, segundo Clark, o problema da má repercussão foi a maneira apaixonada, ideológica, da discussão. Critica a maneira sensacionalista com que as matérias retratam a cura do câncer. “O pior dia na vida de um oncologista é a segunda feira, depois do fantástico, que a cada vez descobre a cura do câncer”, afirma Dr. Otávio.

O doutor explica que tecnologia em saúde é qualquer coisa que pode ser aplicada na vida das pessoas. Desde O PET/CT (equipamento que une os recursos diagnósticos da Medicina Nuclear, PET, e da Radiologia,CT ), até um comprimido como aspirina ou um exame clínico.
A pergunta que fez todos pesarem cautelosamente a respeito foi: “Quanto você pagaria para ter um ano a mais de vida?” Retratando sobre a qualidade de vida, Qualy. Do ponto de vista de custo e objetividade é oferecer melhor qualidade de vida ao beneficiado que não tem uma expectativa de vida muito longa, fazendo com que o investimento seja para que o paciente possa ficar livre do sintoma e não somente aumente os seus dias.
Infelizmente a sociedade não pode arcar com os custos que precisam ser investidos, para que haja uma melhor qualidade de vida. 
A falta de vontade política, no investimento em novas tecnologias é um dos problemas que precisam ser enfrentados com sobriedade, enfatiza o especialista. “O ideal é que as coisas funcionassem mais e custassem menos, o que a gente chama de uma tecnologia dominante, mesmo sendo quase impossível hoje em dia”, e para ter um investimento em tecnologias que funcionem, mesmo a um custo alto, é necessário saber os limites, ou seja, quanto podemos ou estamos dispostos a investir, conclui Dr. Otávio, enfatizando a necessidade dessa discussão para que novas medidas venham ser tomadas, para melhoria na área de saúde pública, visto que o Brasil é um dos países que menos investem na saúde, cerca de $ 674 de renda percapita e paga 36% de imposto.

Perguntas podem ser enviadas através do formulário online: 

http://www.blogueirosdasaude.org.br/2013/06/perguntas-ao-palestrante.html

Cortesia do Dr. Otávio Clark, a apresentação da palestra.

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Kefir e a ciência

Os benefícios do kefir, sob o olhar da ciência A boa fama desse alimento está …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas