Home / Notícias / Avaliação de Tecnologias em Saúde

Avaliação de Tecnologias em Saúde

Quanto você pagaria por um ano a mais de vida?

Com essa pergunta Dr. Otávio Clark faz sua explanação sobre Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS)

A primeira palestra foi a do Dr. Otávio Clark, sobre Avaliação de Tecnologias em Saúde. O doutor usou um caso bem emblemático da atualidade, o de Angelina Jolie, para mostrar, que para compreendermos melhor a ATS, devemos ter uma visão “desapaixonada” da história. Apesar das críticas, a atriz tomou a decisão clinicamente correta, segundo Clark, o problema da má repercussão foi a maneira apaixonada, ideológica, da discussão. Critica a maneira sensacionalista com que as matérias retratam a cura do câncer. “O pior dia na vida de um oncologista é a segunda feira, depois do fantástico, que a cada vez descobre a cura do câncer”, afirma Dr. Otávio.

O doutor explica que tecnologia em saúde é qualquer coisa que pode ser aplicada na vida das pessoas. Desde O PET/CT (equipamento que une os recursos diagnósticos da Medicina Nuclear, PET, e da Radiologia,CT ), até um comprimido como aspirina ou um exame clínico.
A pergunta que fez todos pesarem cautelosamente a respeito foi: “Quanto você pagaria para ter um ano a mais de vida?” Retratando sobre a qualidade de vida, Qualy. Do ponto de vista de custo e objetividade é oferecer melhor qualidade de vida ao beneficiado que não tem uma expectativa de vida muito longa, fazendo com que o investimento seja para que o paciente possa ficar livre do sintoma e não somente aumente os seus dias.
Infelizmente a sociedade não pode arcar com os custos que precisam ser investidos, para que haja uma melhor qualidade de vida. 
A falta de vontade política, no investimento em novas tecnologias é um dos problemas que precisam ser enfrentados com sobriedade, enfatiza o especialista. “O ideal é que as coisas funcionassem mais e custassem menos, o que a gente chama de uma tecnologia dominante, mesmo sendo quase impossível hoje em dia”, e para ter um investimento em tecnologias que funcionem, mesmo a um custo alto, é necessário saber os limites, ou seja, quanto podemos ou estamos dispostos a investir, conclui Dr. Otávio, enfatizando a necessidade dessa discussão para que novas medidas venham ser tomadas, para melhoria na área de saúde pública, visto que o Brasil é um dos países que menos investem na saúde, cerca de $ 674 de renda percapita e paga 36% de imposto.

Perguntas podem ser enviadas através do formulário online: 

http://www.blogueirosdasaude.org.br/2013/06/perguntas-ao-palestrante.html

Cortesia do Dr. Otávio Clark, a apresentação da palestra.

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Retinopatia diabética pode causar cegueira irreversível, mas tem tratamentos inovadores para casos avançados

Retinopatia diabética pode causar cegueira irreversível, mas tem tratamentos inovadores para casos avançados Especialista do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas