Home / Notícias / FEMAMA lança campanha Outubro Rosa com foco no empoderamento de pacientes com câncer

FEMAMA lança campanha Outubro Rosa com foco no empoderamento de pacientes com câncer

“#PacientesNoControle – Atitude Exige Coragem” é tema da campanha apresentada no 4º Congresso Brasileiro Todos Juntos Contra o Câncer

Com o objetivo de estimular em pacientes com câncer a atitude de envolver-se com o próprio diagnóstico e tratamento, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) lançou, em um painel durante o 4º Congresso Brasileiro Todos Juntos Contra o Câncer, em 27 de setembro, em São Paulo/SP, a campanha nacional para o Outubro Rosa 2017, “#PacientesNoControle – Atitude Exige Coragem”.

Moderado pelo jornalista Heródoto Barbeiro, o painel contou com a participação da Dra. Maira Caleffi, presidente voluntária da FEMAMA, instituição que trouxe o Outubro Rosa para o Brasil de forma organizada em 2008. No encontro, a especialista reforçou a importância de assumir o controle durante o enfrentamento do câncer: “Aproveite suas consultas para tirar todas as dúvidas, leve um caderno com todas as suas questões e discuta com seu médico. É importante saber qual o seu tipo de câncer, se ele é hereditário, qual o seu esquema de tratamento e se existem outras alternativas”, aconselhou. “Conte com o apoio de pessoas especiais próximas a você, nas quais você confia e que podem contribuir positivamente com o seu processo de recuperação. As ONGs de apoio a pacientes também estão prontas para ajudar de diversas formas”, completou.

Na ocasião, a fisioterapeuta Patrícia Taddeo, da Universidade Estadual do Ceará, apresentou o olhar do usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) perante a prática médica. “Todos os envolvidos nessa assistência precisam compreender a necessidade do atendimento diferenciado e sensível, baseado em uma relação de respeito e confiança. A consulta não pode ser só para prescrever remédios”, atestou.

Lucy Bonazzi, psico-oncologista do Hospital Moinhos de Vento falou do empoderamento de pacientes enquanto processo, composto por diversas etapas. “Empoderar significa capacitar a paciente e todos ao seu redor a decidirem os caminhos do combate da doença”, afirmou. Segundo ela, sentir-se confusa e ter pensamentos negativos durante o processo é normal e esperado. Aos poucos, e com apoio, a paciente passa a compreender e lidar melhor com a situação, sentindo-se apta a tornar-se protagonista de sua jornada.

Jô Nunes, presidente de honra e fundadora da Associação Brasileira de Síndrome de Williams, falou da luta pelo acesso ao diagnóstico e tratamento da filha, portadora da Síndrome de Williams. Exemplo de pessoa empoderada que luta por mais informações sobre a doença rara que a filha enfrentou e por mais direitos aos pacientes, criou uma rede de apoio para mães que passavam pela mesma situação.

A paciente Márcia Fernandes, embaixadora do Instituto da Mama do Rio Grande do Sul, também compartilhou sua história, contando sobre sua batalha para receber a terapia contra o câncer de mama metastático e as dificuldades enfrentadas. Márcia viu sua doença avançar rapidamente enquanto aguardava por resultados de exames e por acesso a um tratamento que não estava disponível para ela na rede pública de saúde, mas lutou até receber as aplicações da terapia de que necessitava. Foi por conhecer os seus direitos e estar informada sobre sua doença que ela seguiu adiante. “Precisamos lutar por algo que já é nosso por direito”, destacou.

A Campanha

Em sua décima edição, a campanha nacional Outubro Rosa 2017 visa conscientizar pacientes com câncer, bem como seus familiares, amigos e colegas sobre a importância de munir-se de informação e participar ativamente da tomada de decisões no enfrentamento da doença.

“Essa abordagem amplia o pensamento crítico, analítico e autônomo do paciente, estimulando que participe das decisões referentes ao seu diagnóstico e tratamento. Além disso, oferece condições para reivindicar uma assistência em saúde efetiva, que atenda plenamente suas necessidades. A informação é uma ferramenta para assumir o controle”, afirma a Dra. Maira Caleffi.

A iniciativa estende-se a todos que convivem com os pacientes, uma vez que um diagnóstico de câncer pode afetar o relacionamento social, familiar e profissional. “O dia a dia com a doença traz diversos desafios. Por isso, é importante que os envolvidos sejam protagonistas nessa jornada, cientes de todas as possibilidades e capazes de reconhecer quando algo lhes é negligenciado”, reforça a especialista.

A campanha promove ainda uma mobilização online pela aprovação de alguns projetos de lei que tramitam na câmara, para que se tornem de fato direitos que beneficiarão milhares de pacientes com câncer.  A campanha conta com hotsite, quizz, vídeo, mobilização online, conteúdo para mídias sociais e materiais gráficos. Para participar, visite www.pacientesnocontrole.org.br.

Sobre a FEMAMA

A FEMAMA (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) é uma entidade sem fins econômicos que concentra uma rede de 70 instituições ligadas à saúde da mama, presentes em 19 estados brasileiros e Distrito Federal, representando mais de 1 milhão de cidadãos. A instituição atua na articulação de uma agenda nacional única para influenciar a formulação de políticas públicas de atenção à saúde da mama. Eleita membro titular do Conselho Nacional de Saúde (CNS), a FEMAMA tem direito a voto nas pautas propostas pelo CNS que, posteriormente, se convertem em recomendações para o Ministro da Saúde na condução e formulação de políticas públicas.

A FEMAMA foi a primeira instituição a trazer o Outubro Rosa de forma organizada para o Brasil, em 2008, com ações em diversas cidades do país, em parceria com ONGs associadas.

Mais informações no site www.femama.org.br

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Saúde Mental – Entre o neurológico e o psiquiátrico

Com o objetivo de promover reflexões sobre os problemas de saúde mental que afetam mais …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas