Home / Notícias / Maratona de Curitiba revela histórias de superação

Maratona de Curitiba revela histórias de superação

A Maratona de Curitiba, realizada neste domingo (19), teve um sabor especial para a família Milarski. É que a data marcou também o aniversário de Sergio, que comemorou com familiares e amigos seu 69º aniversário. Desde 2009, após superar um problema neurológico e um câncer, a corrida faz parte de sua vida, que sofreu uma verdadeira transformação ao longo desses nove anos. Ele já participou de cinco maratonas desde que superou os problemas de saúde.

Danielle Milarski, filha do maratonista, conta que o pai teve o primeiro problema de saúde mais grave diagnosticado em 2004: a síndrome de Guillain-Barré, uma doença auto-imune, ou seja, que faz com que o sistema imunológico ataque e destrua tecidos saudáveis do corpo, no caso os neurônios.

O problema se manifestou quando a imunidade de Sergio estava baixa, após ele passar por duas cirurgias, uma de varizes e outra de hérnia. “Ele não andava mais, teve de ficar em cadeira de rodas. Foi uma fase bem difícil”, relata Danielle. “Mas ele não se conformou, sempre foi muito raçudo. A fisioterapeuta ia na casa dele, saía, e ele continuava fazendo os exercícios até a exaustão. Nove meses depois já estava jogando bola”, conta a filha.

Quatro anos depois, quando o pior parecia ter passado, um novo problema: câncer de próstata. Como sempre fez os exames periódicos, descobriu a doença ainda em seu início. “Teve a alteração e já foi operado. A cirurgia deu super certo e ele acabou não precisando de quimio ou radioterapia”, recorda a filha.

Um ano depois do câncer, com o incentivo de familiares, começou a correr pelas ruas curitibanas e acabou se animando com os desafios. “Minha mãe ficou nos 10 quilômetros, nós corremos 21 km e ele foi para maratona, vai fazer a quinta no domingo”, diz Danielle. A Maratona de Curitiba é dividida em provas de 5 km, 10 km e 42 km.

Com uma pequena academia montada em casa, Sergio treina todos os dias, sempre revezando entre a musculação, a corrida e a bicicleta. “Ele é um exemplo de vida para gente, para os amigos. Ele é muito obcecado, treina direito, come direitinho. E como vimos ele bem doente por um tempo, é bem legal ver essa transformação”, finaliza Danielle.

Equipe de curitibanos que venceram a leucemia
Além de Sergio, outra historia especial que a Maratona de Curitiba revelou foi a da equipe formada por Daniel (35 anos), Kauany (16 anos), Noah (6 anos), Ana Julia (13 anos), Gabrielli (17 anos) e Matheus (9 anos). Detentores de uma determinação incomparável, eles venceram uma luta intensa contra a leucemia com o apoio da equipe do Hospital Nossa Senhora das Graças e agora farão parte do lançamento oficial do The Hardest Run (A Corrida Mais Difícil, em tradução livre).
O objetivo é reunir corredores profissionais e amadores em uma equipe internacional de doares. Os seis curitibanos participaram da prova de 5 quilômetros da maratona e fizeram o lançamento do movimento, idealizado pelo maratonista extremo Marcelo Alves, no Brasil. “Queremos encorajar a classe de corredores para formarmos uma equipe para a prova mais difícil que eles já enfrentaram: a luta pela vida”, detalha o maratonista extremo.


Transformação além do indivíduo
Depois que começou a correr, a vida de Sergio mudou por completo. Empresário, antes tinha dificuldades para lidar com o estresse do trabalho, chegando a passar noites em branco por conta do nervosismo e da ansiedade. “Hoje ele é bem mais leve, parece que nada o tira do sério”, comenta Danielle.
A mudança de hábitos de Sergio, contudo, não impactou apenas em sua vida pessoal, também teve impactos no convívio familiar. “A corrida nos aproximou. Meu pai sempre foi uma pessoa mais fechada, a gente tinha uma relação meio distante. Com a corrida, porém, arrumamos algo em comum. Sempre treinamos juntos, temos assunto para discutir.

Festa
Na chegada de Sergio, que correu metade da maratona ao lado do filho e a outra metade ao lado da filha, o clima foi de muita festa na Praça Nossa Senhora do Salete. Com os amigos e familiares todos vestidos de azul, em lembrança à campanha Novembro Azul, a comemoração teve direito a bolo com decoração de tênis em cima e uma mesa com doces e salada de frutas. Para o aniversariante, uma massagista que ajudou a acelerar a recuperação após a corrida de 42 quilômetros.

Fonte: http://www.bemparana.com.br/noticia/538307/maratona-de-curitiba-revela-historias-de-superacao

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Participação Social em Saúde

Que tipo de pesquisa é essa? Trata-se de uma pesquisa científica, de pós-doutorado, com objetivo …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas