Home / Notícias / Nova campanha de vacinação vai atualizar imunizações nas UBSs

Nova campanha de vacinação vai atualizar imunizações nas UBSs

A Secretaria Municipal de Saúde colocará em prática, entre os dias 19 e 30 deste mês, as ações da Campanha Nacional de Multivacinação. A mobilização, que faz parte do calendário estabelecido pelo Ministério da Saúde, visa levar crianças e adolescentes às Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para que as equipes possam verificar suas carteiras de vacinação e realizar a imunização de doses que estejam em atraso. No sábado, dia 24, acontecerá o Dia D da campanha e as unidades permanecerão abertas das 8h às 17h.

De acordo com a Divisão de Vigilância Epidemiológica (DVE), a campanha deste ano terá dois públicos-alvo: os menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), onde estão inclusas também as doses de vacina contra a poliomielite, e crianças e adolescentes de 9 a 13 anos (até 13 anos, 11 meses e 29 dias). No primeiro grupo, a expectativa é atender a 40.213 crianças. No segundo, um público de 51.333, entre os quais serão verificados, principalmente, se estão atualizados os esquemas vacinais contra sarampo, caxumba, rubéola, tétano, difteria, bem como contra o HPV para as meninas.

A campanha terá como base, para verificação das carteiras de vacinação, o novo calendário de imunizações adotado pelo Ministério da Saúde no início deste ano. Um das principias mudanças foi em relação à vacina papiloma vírus humano (HPV). O esquema vacinal passou para duas doses, sendo que a menina deve receber a segunda seis meses após a primeira, deixando de ser necessária a administração da terceira dose. De acordo com o órgão federal, estudos recentes mostram que o esquema com duas doses apresenta uma resposta de anticorpos em meninas saudáveis de 9 a 14 anos, não inferior quando comparada com a resposta imune de mulheres de 15 a 25 anos que receberam três doses.

Para os bebês, a principal diferença foi a redução de uma dose na vacina pneumocócica 10 valente para pneumonia, que a partir de agora será aplicada em duas doses, aos 2 e 4 meses, seguida de reforço preferencialmente aos 12 meses, mas poderá ser tomada até os 4 anos. Também houve mudança da vacina meningocócica C (conjugada), que protege as crianças contra meningite causada pelo meningococo C. O reforço, que anteriormente era aplicado aos 15 meses, passa a ser aplicado aos 12 meses, preferencialmente, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.

Pólio


Em relação à proteção contra a paralisia infantil, o Ministério da Saúde também realizou adequações dentro da estratégia de, num futuro próximo, utilizar apenas as doses de vacina inativada (injetável) nas crianças, tendo em vista a proximidade da erradicação mundial da doença. No Brasil, o último caso foi em 1989. A alteração transformou a terceira dose da vacina contra poliomielite, administrada aos 6 meses de vida, de oral para injetável — assim como as duas primeiras, aos 2 e 4 meses. A vacina oral da poliomielite (VOP), as famosas gotinhas, continuarão sendo administradas como reforço aos 15 meses, 4 anos e anualmente durante a campanha nacional, para crianças de 1 a 4 anos.

Fonte: Jornal Cruzeiro

Sobre Priscila Torres

mm

O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR.
Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social “Jornalismo” na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Mulheres na luta contra o câncer

Depois de um mês inteiro dedicado ao combate e à conscientização sobre o câncer de …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas