Home / Notícias / Os Desafios do Setor de Transportes para a Melhoria da Saúde da População – 03/07/2013

Os Desafios do Setor de Transportes para a Melhoria da Saúde da População – 03/07/2013

USP debate a relação transporte urbano e saúde, tema das ultimas grandes manifestações populares que tem ocorrido no país
ENCONTRO ACADÊMICO INTERNACIONAL NA FSP USP:
“Os desafios do setor de transportes para a melhoria da saúde da população”.
Debater sobre os desafios do setor de transportes para a melhoria da saúde da população e os possíveis caminhos conjuntos para superar os obstáculos atuais de metrópoles em países em desenvolvimento, como São Paulo, é o objetivo do ENCONTRO ACADÊMICO INTERNACIONAL:  “Os desafios do setor de transportes para a melhoria da saúde da população”, que será realizado na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, tendo como um dos palestrantes, representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o tema. Além disso, serão discutidos aspectos relativos à integração da academia com o poder público na elaboração e avaliação de intervenções do setor de transportes e sua repercussão na saúde pública.
O transporte tem enorme impacto sobre a saúde da população e sua influência vem crescendo na medida em que o processo de urbanização se intensifica e o direito às cidades ganha em importância. As políticas do setor de transportes têm o potencial de melhorar a saúde geral ou de ampliar os riscos à saúde por sua estreita relação com temas como a poluição do ar e sonora, lesões de trânsito, atividade física, além de contribuírem decisivamente para a capacidade das pessoas em acessar empregos, educação, serviços de saúde e oportunidade de lazer. Intervenções no modo como a metrópole se movimenta podem ainda aproximar pessoas, reduzir as desigualdades sociais e transformar as cidades em lugares melhores para se viver. Interessados em ampliar esta discussão, a Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP), por meio da Comissão de Pesquisa, convidou o Professor Carlos Francisco Dora, coordenador do Departamento de Saúde Pública e Meio Ambiente da Organização Mundial de Saúde e especialista em avaliação de impacto à saúde de políticas públicas, incluindo o setor de transportes.
O encontro está voltado a pesquisadores, alunos de pós-graduação, gestores e público em geral e terá como eixos centrais do debate os impactos à saúde do setor de transportes, as políticas para melhorar a saúde por meio deste setor, as ferramentas para a avaliação deste impacto, as alternativas de governança sobre o processo de mudança, e as oportunidades apresentadas por intervenções em transporte sendo feitas em preparação para os grandes eventos de 2014 e 2016.
O evento é organizado pelos professores: Carlos Augusto Monteiro (FSP/USP); Dirce Maria Trevisan Zanetta (FSP/USP); Helena Ribeiro (FSP/USP); João Vicente de Assunção (FSP/USP); e pelo aluno de pós-Graduação-  Thiago Hérick de Sá (FSP/USP).
Data: 3 de julho de 2013 –  15h – 18h
Local: Faculdade de Saúde Pública FSP/USP – Anfiteatro João Yunes – Av. Dr. Arnaldo, 715 – Próximo ao Metrô Clínicas.
Inscrições Gratuitas
A Faculdade de Saúde Pública não disponibiliza estacionamento aos participantes
PROGRAMA
15h – 15h15: Abertura
15h15 – 16h15: Conferência “Os desafios do setor de transportes para a melhoria da saúde da população”. Prof. Dr. Carlos Dora (OMS)
16h15 – 16h30: Apresentação de resultados de pesquisa sobre ciclistas e do efeito de mudanças no padrão de deslocamentos da metrópole. Thiago Hérick de Sá (FSP/USP).
16h30 – 18h: Debates
Minicurrículo
Carlos Dora é médico, com mestrado e doutorado em Epidemiologia pela London School of Hygiene and Tropical Medicine; é membro do Departamento de Saúde Pública e Meio Ambiente da Organização Mundial de Saúde e recentemente coordenou o projeto “Saúde na Economia Verde”, uma série de análises sobre os co-benefícios à saúde de políticas em diferentes setores da economia para a mitigação das mudanças climáticas, incluindo o setor de transportes. Sua unidade – Intervenções para Ambientes Saudáveis – é responsável pelo trabalho da Organização em saúde ocupacional e riscos ambientais para a saúde associados à radiação e à poluição do ar. Antes dessa posição, o Dr. Dora trabalhou como conselheiro sênior de políticas para a Dra. Gro Harlem Brundtland, enquanto ela foi Diretora-Geral da OMS. Antes de ingressar na OMS, Dr. Dora trabalhou em epidemiologia ambiental na London School of Hygiene and Tropical Medicine e em medicina comunitária no Sul do Brasil. Suas publicações incluem numerosos artigos sobre avaliação de impactos à saúde de políticas públicas e saúde no desenvolvimento sustentável, além de diversos livros, dentre os quais podemos destacar a excelente publicação de 2011 intitulada “Sustainable Transport: A Sourcebook for Policy-makers in Developing Cities”. Ele foi professor visitante da Academia Chinesa de Ciências dos Transportes.
Thiago Hérick de Sá é aluno de doutorado do Programa de Nutrição em Saúde Pública da FSP – USP. Desenvolve estudos sobre a frequência e distribuição de fatores de risco à saúde no Brasil, com especial atenção à atividade física e ao deslocamento ativo. No mestrado, desenvolveu, junto com profissionais de saúde, da Estratégia de Saúde da Família, um programa de formação de profissionais para a promoção de atividade física na atenção básica, a partir da pedagogia freireana e da Política Nacional de Educação Permanente.
Realização: Comissão de Pesquisa da FSP-USP
  • Faça aqui a sua inscrição:

Serão fornecidos certificados de participação e o evento será transmitido via Internet 
(IPTV USP).
Entrevistas para a imprensa com Thiago pelo e-mail: thiagodesa@usp.br  – Cel.: (11) 96344-1480.
Mais informações pelo e-mail: svalunos@fsp.usp.br

Sobre Priscila Torres

mm

O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR.
Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social “Jornalismo” na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Conselho Federal de Medicina agiliza diagnóstico de morte encefálica

Os critérios para diagnóstico de morte encefálica foram alterados nesta terça-feira, 12, pelo Conselho Federal …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas