Home / Notícias / Pacientes oncológicos podem viajar?

Pacientes oncológicos podem viajar?

Especialista alerta para os cuidados que pacientes que enfrentam câncer devem tomar na hora de viajar; Confira as principais indicações

Durante o tratamento contra o câncer, muitos pacientes se queixam por ter que abrir mão dos momentos de lazer, como viagens, por receio dos efeitos colaterais das medicações, porém, tomando os devidos cuidados, é possível conciliar o tratamento com o período de férias. Para quem já está com o passeio marcado, o primeiro passo é consultar o médico para receber as orientações e cuidados mais indicados para o seu caso. Vale também levar em consideração o estágio do tratamento, há fases em que o paciente pode estar com o sistema imunológico muito fragilizado ou estar fisicamente indisposto.

Para o oncologista Felipe Ades, do Centro Paulista de Oncologia (CPO), unidade São Paulo do Grupo Oncoclínicas, é preciso se planejar antes de embarcar. “Tenha um hospital de referência no destino para possíveis emergências, em particular para viagens internacionais. Contrate um seguro viagem e leve também um relatório do seu médico com o caso clínico detalhado”, orienta.

Para garantir uma viagem sem imprevistos, o ideal é que o indivíduo esteja acompanhado e sempre respeite os limites do próprio corpo, evitando excessos e garantindo o seu bem-estar. Em decorrência do tratamento, muitos pacientes ficam mais propensos à trombose, por isso, é preciso avaliar com cuidado a quantidade de horas de voo. A alimentação também merece devida atenção. “Muitos pacientes podem estar com o trato gastrointestinal irritado pelo tratamento, por isso é recomendado evitar pratos que não esteja habituado e ter cuidado ao ingerir alimentos crus, principalmente na rua”, complementa Ades.

Alguns medicamentos da quimioterapia podem deixar a pele fragilizada e aumentar a sensibilidade das células, quando exposta ao sol, podem gerar manchas ou até mesmo queimaduras. Para aqueles que pretendem ir à praia, devem optar por um filtro solar com um alto fator, reaplicado de hora em hora, chapéu e ter atenção ao período de exposição solar prolongada. Vale ressaltar que protetor solar é apenas um componente de segurança e não permite um tempo ilimitado debaixo do sol, em especial entre às 10h e 16h, quando os raios são mais fortes. Pacientes que estão realizando radioterapia, devido à pele já apresentar radiação decorrente do tratamento, não é recomendado se expor ao sol.

“É bom evitar grandes aglomerações, como shows de música e estádios de esporte. Mas em geral, se o paciente adotar todas as recomendações, é possível sim desfrutar uma viagem tranquila durante o tratamento oncológico”, finaliza o oncologista.

Sobre o CPO

Fundado há mais de três décadas pelos oncologistas clínicos Sergio Simon e Rene Gansl, o Centro Paulista de Oncologia CPO , unidade São Paulo do Grupo Oncoclínicas, oferece cuidado integral e individualizado ao paciente oncológico. Com um corpo clínico com mais de 50 oncologistas e hematologistas e uma capacitada equipe multiprofissional composta por: psicólogos, nutricionistas, farmacêuticos, farmacêuticos clínicos, enfermeiros, reflexologistas e médico especializado em Medicina Integrativa. Oferece consultas médicas oncológicas e hematológicas, aplicação ambulatorial de quimioterápicos, imunobiológicos e medicamentos de suporte, assistência multidisciplinar ambulatorial, além de um serviço de apoio telefônico aos pacientes 24 horas por dia e acompanhamento médico durante internações hospitalares.

O CPO possui acreditação Canadense nível diamante (Accreditation Canada), do Canadian Council on Health Services Accreditation, o que confere ao serviço os certificados de “excelência em gestão e assistência” e qualifica a instituição no exercício das melhores práticas da medicina de acordo com os padrões internacionais de avaliação. A instituição possui também uma parceria internacional com o Dana Farber Institute / Harvard Cancer Center, que garante a possibilidade de intercâmbio de informações entre os especialistas brasileiros e americanos, bem como discussão de casos clínicos. Além disso, proporciona a educação médica continuada ao corpo clínico do CPO e médicos especialistas, com aulas e eventos com novidades em estudos e avanços no tratamento da doença. Atualmente o CPO possui duas unidades de atendimento em São Paulo, nos bairros de Higienópolis e Vila Olímpia.

Sobre o Grupo Oncoclínicas

Fundado em 2010, é o maior grupo especializado no tratamento do câncer na América Latina. Possui atuação em oncologia, radioterapia e hematologia em 11 estados brasileiros. Atualmente, conta com 55 unidades entre clínicas e parcerias hospitalares, que oferecem tratamento individualizado, baseado na melhor prática clínica.

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:

DIGITAL TRIX

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Nível de confiança em saúde depende de transparência do setor, afirma especialista

Conhecimento maior do funcionamento do sistema de saúde brasileiro pode ser solução para mudar cenário …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas