Home / Notícias / Diabetes mellitus. Conheça alguns exames para avaliação.

Diabetes mellitus. Conheça alguns exames para avaliação.

Há vários exames para diagnosticar e monitorar a doença diabetes mellitus. O exame mais comum é feito com uma gota de sangue, é chamado glicemia capilar, e não demora mais que 3 minutos para saber o resultado. A glicemia capilar é um exame rápido e preciso, porém não oferece um diagnóstico definitivo de diabetes mellitus.

O resultado da glicemia capilar mostra o nível de glicemia no momento do teste, sendo assim varia de acordo com condições de alimentação, jejum, infecções e outras.

Há exames mais indicados para monitorizar o diabetes mellitus que podem ser associados à medida da glicemia.

A glicemia é o nome dado a um exame médico que identifica a quantidade de glicose (açúcar) no sangue no momento da coleta.

É feito colhendo-se uma amostra de sangue, e o resultado demora geralmente pouco tempo para ficar pronto, cerca de menos de uma hora.

O resultado reflete o nível de glicose na hora da coleta e é influenciado por diversos fatores como horário, quantidade e qualidade da alimentação, situações concomitantes como infecções, estresse e outras.

A glicemia de jejum é um exame realizado em jejum de 8 a 12 horas, e avalia a glicemia após este período em que  não se ingere alimentos ou bebidas.

Mostra a capacidade homeostásica do organismo ou seja, como o corpo consegue manter e equilibrar seu metabolismo e níveis de glicose e energia durante o período sem alimentação, o que requer o equilíbrio e biofeedback entre vários hormônios e neurotransmissores, como por exemplo insulina e glucagon.

O TTOG ou Teste de Tolerância Oral a Glicose, também conhecido como “curva glicêmica” é indicado para se conhecer a resposta do organismo à ingestão de uma solução com 75 gramas de glicose, altamente calórica.

Mede-se a glicemia de jejum, e administra-se a solução de glicose, e mede-se novamente após um período de tempo de 2 horas para verificar a resposta do organismo.

Se a glicemia estiver menor que 140 a resposta é normal. Entre 140 e 199 há uma intolerância à glicose, ou pré diabetes, e se o nível for acima de 200, significa que há diabetes mellitus.

A Hemoglobina é uma proteína existente no interior dos glóbulos vermelhos do sangue, e se liga ao oxigênio e outros gases a fim de realizar seu transporte.

No diabetes ou em condições em que a glicemia estiver muito elevada, uma parte da hemoglobina das hemácias sofrerá um processo chamado Glicação ou Glicosilação, quando moléculas de glicose são adicionadas à hemoglobina em maior quantidade.

Desta maneira quanto mais elevada a glicemia, maior será a quantidade de Hemoglobina Glicada presente no sangue periférico.

A glicação do glóbulo vermelho é irreversível, e como estas hemácias têm uma vida média de quatro meses, permanecerá assim durante todo seu período de vida útil.

É devido a isto que o nível de hemoglobina glicada avalia a glicemia média dos últimos três meses, sendo um exame de grande valor para avaliação do diabetes mellitus.

Quando diagnosticado com diabetes, o paciente deve seguir o tratamento orientado por seu médico, utilizando os medicamentos segundo a prescrição, e realizar uma mudança ou melhoria de seu estilo de vida, a fim de reduzir os efeitos desta doença.

Atividade física regular, alimentação saudável sem a presença de carboidratos refinados, sono reparador, e gerenciamento do estresse e das emoções.

A glicemia é controlada através de várias medidas.

A tomada da medicação prescrita pelo médico assistente, a atividade física para reduzir a resistência à insulina e melhorar os níveis glicêmicos, alimentação saudável de baixo índice glicêmico, com fibras, verduras, legumes, grãos integrais, ingesta adequada de água e o gerenciamento do estresse e das emoções através de psicoterapia, técnicas de relaxamento e meditação.

Após as refeições, ocorre um aumento rápido na taxa de glicose no sangue, denominado pico de glicemia. Para que haja controle, é necessário fazer a glicemia pós-prandial.

Após as refeições, o alimento vai sendo absorvido pelo trato gastrointestinal e a ingestão de alimentos com elevado índice glicêmico provoca a elevação abrupta da glicemia.

Se a alimentação for saudável, e de baixo índice glicêmico, a absorção dos alimentos e carboidratos integrais é mais lenta elevando menos abruptamente a glicemia.

A medida da glicemia pós prandial pode ser realizada duas horas após a alimentação para verificar a resposta do organismo ao tratamento realizado. Se a elevação for acima de 200, deve-se reavaliar a medicação prescrita, e a alimentação ingerida, em conjunto com seu médico assistente.

As frutosaminas são proteínas que se ligam à glicose, tornando-se glicadas e assim servem como medida do nível de glicose no sangue.

Como as proteínas do sangue têm tempo de vida média de 20 dias, este exame reflete a média dos níveis de glicemia nas últimas 2 a 3 semanas..

O teste da frutosamina é um exame de monitoramento que serve para avaliar a eficácia do tratamento principalmente quando há alteração nos medicamentos ou houve mudança nos hábitos de vida, na atividade física e / ou alimentação.

Os níveis de frutosamina verificam a média das últimas semanas para verificar se estão normais com os ajustes realizados no tratamento ou se ainda há necessidade de novos ajustes para corrigir a glicemia diária.

Se você vem de uma família de diabéticos ou tem sintomas da doença mude seu estilo de vida, procure seu médico assistente e siga suas orientações.

Fonte: http://blogs.atribuna.com.br/maissaude/2018/05/diabetes-mellitus-conheca-alguns-exames-para-avaliacao/

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Infertilidade masculina: a idade do homem também interfere nas chances de gravidez

Até pouco tempo, acreditava-se que a idade do homem não interferiria nas chances de gravidez …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas