Home / Eventos / Congresso discutirá avanços na prevenção e tratamento de doenças crônicas

Congresso discutirá avanços na prevenção e tratamento de doenças crônicas

O evento será em formato on-line e ocorrerá nos dias 28, 29 e 20 de outubro, com a participação de especialistas nacionais e internacionais

A Sociedade para Estudos da Dor do Distrito Federal, em parceria com a Sociedade Mineira de Estudo da Dor, promove nos dias 28, 29 e 30 deste mês o Congresso Virtual Pain, no qual serão discutidos os seguintes temas: dor na criança, espiritualidade e medicina da dor, avanços tecnológicos na estimulação do sistema nervoso para alívio da dor e outros assuntos que mobilizam especialistas e pacientes.

Serão 39 temáticas a serem tratadas durantes os três dias de congresso, amplamente discutidos por profissionais em dor crônica em nível nacional e internacional. De acordo com o presidente da Sociedade para Estudos da Dor do Distrito Federal, Carlos Gropen, esta será uma oportunidade única de ouvir e debater com alguns dos maiores especialistas do mundo.

“A ideia partiu de uma conversa com dois outros médicos especialistas, pois queríamos debater sobre o tema em um congresso que fosse acessível para as pessoas acompanharem. E, então, reunimos os melhores nomes do país e, ao menos, cinco nomes de peso mundial. E conseguimos. Fizemos um congresso inédito no Brasil. Nunca havia tido algo tão grande, com participações de diversos lugares, em formato virtual”, declara.

As inscrições para o congresso podem ser feitas pelo Sympla.

Por que é importante falar sobre dor crônica?

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Estudos da Dor (SBED), cerca de 37% da população brasileira – aproximadamente 60 milhões de pessoas – sentem dor de forma crônica. Ainda, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que cerca de 80% dos adultos, no mundo, irão sofrer com crises agudas de dor nas costas ao longo da vida.

“A dor crônica é uma dor que mais de três meses de evolução, quanto mais a dor se torna crônica, mais difícil ela se torna de ser tratada, até o ponto em que ela se torna intratável. Então, é importante que quem sofre com os sintomas procure o atendimento médico para avaliar e analisar o melhor tratamento para dor, já que ela interfere tanto nas capacidades físicas e profissionais quanto no emocional, com casos de ansiedade e depressão”, explica.

Para Carlos Gropen, além da diminuição da qualidade de vida, o quadro clínico de dor crônica resulta em um efeito cascata na economia. “A dor crônica pode afetar a capacidade emocional e de cognição da pessoa, o que gera um efeito cascata na economia, pois os tratamentos, geralmente, são muito onerosos – medicamentos, exercícios e, em último caso, cirurgias. E, também, há, em alguns casos, a incapacidade profissional, o que também interfere no caráter econômico, afirma o especialista.

Fonte: Correio Braziliense.

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Terapia de Pressão Negativa para Feridas do Pé Diabético tem cobertura obrigatória no plano de saúde

Procedimento está disponível para usuários dos planos de saúde e ajuda os pacientes com diabetes …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *