Home / Notícias / Idoso é achado morto após iniciar uso de ‘remédio experimental’, diz família

Idoso é achado morto após iniciar uso de ‘remédio experimental’, diz família

O idoso Claudio Florencio da Silva, de 66 anos, foi encontrado morto dentro de casa na terça-feira (29) em Piracicaba (SP) após iniciar um tratamento experimental para hepatite C, segundo a família. Conforme parentes, que registraram boletim de ocorrência na Polícia Civil, o homem fazia uso de medicamentos alternativos fornecidos pela rede pública na cidade. Ao lado do corpo do homem, foi encontrado um balde cheio de sangue.

O enteado do idoso, Ailton Evangelista da Silva, de 49 anos, contou ao G1 que o médico do padrasto receitou os medicamentos importados dos Estados Unidos, Sofosbuvir 400 mg e Daclatasvir 60 mg. Ao longo de uma semana, o paciente tomou seis comprimidos. “Depois que iniciou o tratamento, ele passou a sentir dores, ficou com a barriga inchada e vomitou bastante sangue”, relatou.

O familiar contou que o idoso tinha a doença controlada e não apresentava crises. “Ela fazia exercícios e caminhadas regularmente, participava das atividades em comunidade, tinha uma vida normal”, disse. “Meu padrasto seria o primeiro paciente a tomar os medicamentos em Piracicaba”, completou.

Avaliação prévia
De acordo com informações obtidas pela reportagem na Farmácia de Alto Custo, os medicamentos são receitados aos pacientes por apenas 3 meses após consulta e auditoria médicas que avaliam a necessidade de prescrição das substâncias. A recomendação de Sofosbuvir 400 mg e Daclatasvir 60 mg para o tratamento de hepatite C é resultado de um estudo do Ministério da Saúde, assessorado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec).

Prefeitura e Ministério da Saúde
O G1 também entrou em contato, por e-mail, nesta quarta-feira (30), com a direção da Farmácia de Alto Custo de Piracicaba, que encaminhou o assunto para a Prefeitura, e com o Ministério da Saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde, em nota, informou que o paciente era monitorado pelo Centro de Doenças Infectocontagiosas (Cedic) desde outubro deste ano e “seu quadro evoluía bem”. A pasta afirmou ainda que Claudio “já havia feito outros tratamentos anteriores para a doença e não obteve cura satisfatória”.

“Os medicamentos que tomava, indicados pelo especialista do Cedic, não são experimentais, mas usados no mundo inteiro para o tratamento de hepatite C, com possibilidade de cura em 98% dos casos. Tudo indica que ele teve alguma complicação decorrente da doença e não dos medicamentos”, afirmou a secretaria.

A nota diz ainda que o paciente estava com a doença em estágio avançado (F4), com indicativo para cirrose. “Pelo relato da família, de que houve sangramento abundante, historicamente este quadro é decorrência da cirrose. Mas esta certeza só será possível com a necrópsia, pelo IML (Instituto Médico Legal)”.

O Ministério da Saúde ainda não se posicionou sobre o caso de Claudio Florencio da Silva. O velório e o sepultamento do idoso ocorrem na tarde desta quarta no Cemitério Municipal da Vila Rezende.

Fonte: G1

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Nível de confiança em saúde depende de transparência do setor, afirma especialista

Conhecimento maior do funcionamento do sistema de saúde brasileiro pode ser solução para mudar cenário …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas