Home / Notícias / Saiba como evitar as consequências dos excessos de fim de ano
fim-ano2013max

Saiba como evitar as consequências dos excessos de fim de ano

Um período repleto de promessas a cumprir para o ano seguinte, inspiradas por comemorações familiares, confraternizações entre colegas de trabalho, amigos-ocultos e ritos de passagem quase sempre acompanhados de excessos alimentares e uns goles a mais.

Para evitar transtornos que podem transformar as festas de fim de ano em dias de tormento, médicos e nutricionistas são unânimes em suas recomendações: “a prudência é a melhor prevenção contra o mal-estar, dores de cabeça, distúrbios estomacais, intestinais e até os casos extremos de coma alcóolico, “que podem trazer resultados danosos ao sistema neurológico”, alertam os especialistas.

Portanto, a melhor atitude a tomar é a moderação, acompanhada por alguns cuidados. A primeira recomendação é manter o organismo sempre hidratado quando consumir bebidas alcóolicas, intercalando a bebida com copos de água regularmente. “Assim você bebe menos e dilui os componentes da bebida, reduzindo substancialmente a desidratação, que é a principal causa da ressaca”, asseguram os profissionais de saúde.

A alimentação também merece atenção especial na hora de tomar os drinks. Comer antes de beber, e beliscar entre um copo e outro, retarda a difusão do álcool no organismo. Para evitar a ressaca também é importante não misturar destilados (cachaça, uísque, vodka) com fermentados (vinho, cerveja).

Mas caso você não resista e exagere no álcool uma dica é tomar generosas doses de água antes de dormir. No dia seguinte, o melhor é consumir alimentos leves, de fácil digestão, com baixos teores de gordura. Num organismo já sobrecarregado pelos efeitos do álcool, a preferência deve ser dirigida às frutas, vegetais e líquidos como a água de coco, sucos naturais e isotônicos, que também ajudam na reposição de minerais.

A ideia de “rebater” a ressaca com mais álcool é um mito que deve ser abandonado. Nesse caso, o único efeito que pode ser esperado é a sobrecarga do fígado e dos rins. A automedicação – uso de analgésicos e outras drogas sem prescrição médica – deve ser evitada, pois há componentes em alguns remédios vendidos livremente nas farmácias que trazem riscos de hepatoxidade (danos ao fígado), se associados ao consumo de álcool.

Fonte: Blog da Saúde

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Dia Mundial da Alergia, médico explica como ar seco favorece alergia ocular

Incomodo pode até gerar casos mais graves, como ceratocone e conjuntivites A temporada outono inverno …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco
Suporte aos Pacientes
Olá, envie a sua mensagem para o nosso Programa de Suporte aos Pacientes