Home / Notícias / Tratamento das uveítes não infecciosas no plano de saúde será debatido hoje na Agência Nacional de Saúde Suplementar

Tratamento das uveítes não infecciosas no plano de saúde será debatido hoje na Agência Nacional de Saúde Suplementar

Sociedade Brasileira de Uveítes solicita a cobertura de medicamento biológico no plano de saúde, tema será debatido nesta quarta-feira, 18 de dezembro na Agência Nacional de Saúde Suplementar 

O tratamento adequado das Uveítes não Infecciosas variam de acordo com a causa e o histórico médico de cada paciente, mas em geral costuma ser iniciado com a prescrição de medicamentos da classe dos glicocorticoides (prednisona). Porém, existem efeitos adversos locais associados ao uso desse medicamento, como aumento da pressão intraocular e catarata. Além de efeitos adversos sistêmicos, como osteoporose, síndrome de Cushing, diabetes, hipertensão arterial sistêmica, necrose asséptica de cabeça de fêmur e outros. 

Nos casos em que a monoterapia com glicocorticóides não é eficaz ou em que se deseja reduzir a dose deste medicamento, são prescritos imunossupressores. Eles servem como redutores da dose ou poupadores de glicocorticóides e adjuvantes no controle inflamatório. Outra classe de medicamentos que também se mostra eficaz no tratamento das uveítes não infecciosas é a dos antimetabólitos.

Também existe a alternativa de utilização do medicamento adalimumabe, da classe dos biológicos, único desse tipo a ser aprovado até então para uveítes. Ele só costuma ser prescrito após tentativas sem resposta com as demais medicações, pois trata-se de um medicamento de uso crônico e de alto custo. 

O tratamento das uveítes não infecciosas pode ser feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), através do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas que estabelece o elenco de medicamentos fornecidos por meio da farmácia de alto custo. Essa lista é composta por 5 medicamentos sintéticos: Azatioprina, Ciclosporina, Prednisona, Metilprednisolona e o biológico adalimumabe, que é o tratamento mais moderno disponível no Brasil para o tratamento da uveítes não infecciosa ativa, configurando uma grande oportunidade para os pacientes acometidos por este tipo de uveíte. 

Visando a incorporação do medicamento adalimumabe nos planos de saúde,  nesta quarta-feira, dia 18 de dezembro, a Sociedade Brasileira de Uveítes apresenta para a Agência Nacional de Saúde Suplementar o pedido de inclusão no Rol de cobertura no plano de saúde da terapia imunobiológica com adalimumabe para o tratamento de uveítes não infecciosa intermediaria posterior ou panuveítes com doença ativa devido à resposta inadequada aos corticosteroides ou em adultos com doença inativa que necessitem de redução/retirada de corticosteroides. 

O tema faz parte da pauta da 8° Reuniões Técnicas de Análise das Propostas de Atualização do Rol Ciclo 2019-2020, que acontece nesta quarta-feira, dia 18 de dezembro de 2019, no período da manhã e pode ser acompanhada ao vivo por meio do Periscope da ANS (https://www.pscp.tv/ANS_reguladora).

Fontes:

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/setembro/16/Portaria-Conjunta-PCDT-Uve–tes-SET.pdf

http://www.uveitesbrasil.com.br/noticias/view/olho-vermelho-cuidado-pode-ser-uveite.html

https://artritereumatoide.blog.br/uveite-a-doenca-pouco-conhecida-que-po

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Nova gestão do Ministério da Saúde irá ampliar o diálogo, a participação social e revela as prioridades recomendadas para 2023

Perspectiva para a saúde em 2023, é tema debatido durante a 337º Reunião Ordinária do …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco
Suporte aos Pacientes
Olá, envie a sua mensagem para o nosso Programa de Suporte aos Pacientes