Home / Notícias / Adoçantes podem elevar intolerância à glicose e risco de diabetes

Adoçantes podem elevar intolerância à glicose e risco de diabetes

adoçante-no-cafeRIO – Longe de ajudar no emagrecimento, adoçantes para bebidas como o café podem aumentar a intolerância à glicose e o risco de diabetes. A conclusão faz parte de um estudo publicado na revista “Nature”.

Os cientistas descobriram que, ao dar a ratos água misturada com três adoçantes em doses usadas entre humanos, os animais desenvolveram intolerância à glicose em questão de semanas.

Isso aconteceu porque as substâncias alteraram o equilíbrio de micróbios do intestino que têm sido associados ao metabolismo. Elas também afetaram a composição e função das bactérias intestinais em um pequeno número de voluntários humanos.

Até então, pensava-se que os adoçantes aceleravam o metabolismo e ajudavam no emagrecimento.

O estudo ressaltou, porém, que a reação das pessoas aos adoçantes pode variar dependendo do tipo de bactéria que abrigavam. Foram identificadas duas populações diferentes de micróbios intestinais: uma que provocou a intolerância à glicose quando exposta aos edulcorantes, e outra que não.

Algumas bactérias também reagiram a adoçantes artificiais através da secreção de substâncias que provocaram uma resposta inflamatória semelhante a uma overdose de açúcar.

Os cientistas pediram cautela com os resultados da pesquisa, já que os testes foram feitos em apenas sete voluntários humanos até o momento. No entanto, eles já recomendam que todos evitem o uso exagerado de adoçante. No lugar de bebidas açucaradas, a água.

 

FONTE: O Globo

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Menino aguarda transplante de pulmão morando há seis anos em hospital de Canoas

Desde o primeiro ano de vida, o lar de Bernardo Moreira Loureiro, hoje com 7, …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: