Home / Notícias / Exame pode detectar vírus do Sarampo e confirmar ou não a doença

Exame pode detectar vírus do Sarampo e confirmar ou não a doença

Suspeitas crescentes no Norte, onde mais de 230 casos estão sob investigação, preocupam outras regiões

A região Norte do país tem uma nova preocupação: uma possível epidemia de Sarampo que assusta a população das cidades da região, especialmente as que fazem fronteira com a Venezuela, país em que houve um surto do vírus no segundo semestre de 2017. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus, Semsa, 16 pacientes na cidade já tiveram a confirmação de sarampo, enquanto mais de 230 casos continuam em análise.

Mas não há motivo para pânico. O Brasil conta com diagnóstico laboratorial que pode ser realizado por meio da sorologia para detecção de anticorpos IgM – que indicam a presença do vírus, e IgG específicos – que permanecem mesmo após a fase aguda, identificando assim os casos ou não de sarampo na população. “Com o exame, os anticorpos específicos do Sarampo podem ser detectados no sangue, na fase aguda da doença, desde os primeiros dias até 4 semanas após o aparecimento da manchas no corpo”, explica Gustavo Janaudis, CEO da EUROIMMUN, empresa de diagnósticos alemã.

Atualmente, a técnica ELISA, com a qual é realizada os exames da EUROIMMUN, é a mais utilizada para detecção de anticorpos e considerada a mais sensível e específica do que o teste de imunofluorescência indireta, outro método de diagnóstico.

Além do Norte, as regiões centro-oeste e sudeste também estão em alerta pela possível migração da população do Amazonas e de Venezuelanos que estão vindo a outros estados, como São Paulo.

Livre de Sarampo

Em 2016, o continente americano foi o primeiro do mundo a receber o certificado da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) de que estava livre do sarampo. No entanto, desde os primeiros indícios em Roraima e Manaus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que o Brasil é o segundo país com possibilidade de infecção devido ao fluxo de imigrantes venezuelanos.

Ainda de acordo com a OMS e OPAS, a melhor forma de prevenção do Sarampo se dá através da vacinação, de modo a manter uma cobertura homogênea de 95% com a primeira e a segunda dose da vacina contra sarampo, caxumba e rubéola em todos os municípios. Em Manaus, uma primeira vacinação foi aberta para crianças de seis meses a 5 anos
na última semana.

O sarampo é uma virose aguda provocada por um vírus, transmissível e extremamente contagioso, caracterizado por febre, marcas, coceira na pele, e sintomas respiratórios. Apesar de muito comum na infância, pode acometer indivíduos adultos.

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O vírus pode ser transmitido de quatro a seis dias antes das marcas aparecerem no corpo e continuam se espalhando até quatro dias após o surgimento dos sinais na pele.

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Nível de confiança em saúde depende de transparência do setor, afirma especialista

Conhecimento maior do funcionamento do sistema de saúde brasileiro pode ser solução para mudar cenário …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas