Home / Notícias / Erro de diagnóstico contribui para aumento dos casos de câncer colorretal avançado antes dos 50 anos, diz organização

Erro de diagnóstico contribui para aumento dos casos de câncer colorretal avançado antes dos 50 anos, diz organização

Associação de pacientes americana indicou que mais de 70% dos pacientes precisou ir a mais de um médico para obter o diagnóstico da doença.

Um estudo organizado pela Colorectal Cancer Alliance, organização norte americana de apoio a pacientes com câncer colorretal indicou que casos avançados da doença em pessoas com menos de 50 anos foram, inicialmente, mal diagnosticados. A pesquisa mostrou ainda que 70% dos pacientes, precisou procurar mais de um médico para obter o diagnóstico da neoplasia.

O Dr. Marcos Belotto, gastrocirurgião do Hospital Sírio Libanês repercute o problema. “O câncer colorretal tem apresentado um aumento significativo em pessoas mais jovens. Estudos já mostram uma possível relação desse aumento com hábitos como obesidade, sedentarismo, e consumo de alimentos considerados inflamatórios, como excesso de carne vermelha e alguns alimentos processados”, alerta.

A pesquisa aponta também informações importantes a respeito dos principais fatores de risco do tumor de intestino, conforme detalha Belotto. “Cerca de 30% dos entrevistados no estudo relataram um histórico familiar de neoplasia, e, 8% tiveram diagnóstico de síndrome de Lynch. Essa é uma síndrome que aumenta os riscos de desenvolvimento de câncer em geral”, pontua.

Além de analisar a dificuldade de diagnóstico do câncer colorretal, o artigo mostrou também que muitos dos entrevistados demoraram para procurar ajuda médica. ” Uma das informações mais alarmantes do estudo é o fato de que 60% dos entrevistados demoraram em 3 e 12 meses para procurar auxílio médico, e isso porque, não reconheciam esses sintomas como um possível câncer, por isso é importante procurar ajuda assim que os sintomas começarem e ficar atento aos exames de prevenção”, frisa o especialista.

Por ser um tipo de câncer com incidência alta, o tumor colorretal exige algumas medidas de prevenção importante, listadas pelo gastrocirurgião. “O rastreamento de lesão suspeita ou pólipos (tumor benigno que pode se transformar em câncer em 5 a 7 anos) é fundamental. A colonoscopia é um dos exames que detecta precocemente os tumores que agridem o cólon e o reto. A conscientização é um fator importante para a redução das mortes provocadas pelo câncer de intestino”, conclui.

Fonte: Assessoria de Imprensa

 

 

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Nova gestão do Ministério da Saúde irá ampliar o diálogo, a participação social e revela as prioridades recomendadas para 2023

Perspectiva para a saúde em 2023, é tema debatido durante a 337º Reunião Ordinária do …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco
Suporte aos Pacientes
Olá, envie a sua mensagem para o nosso Programa de Suporte aos Pacientes