Home / Notícias / Inspeção não acha um terço da lista de remédios do SUS em SP

Inspeção não acha um terço da lista de remédios do SUS em SP

Uma fiscalização feita pelo Ministério Público Estadual em maio em colaboração com o Conselho Regional de Farmácia em cinco Unidades Básicas de Saúde (UBSs) concluiu que 30% dos medicamentos da lista do SUS estão em falta no Município. O desabastecimento de medicamentos em farmácias de unidades municipais e estaduais é alvo de um inquérito civil aberto no ano passado pela promotora Dora Martin Strilicherk, da Saúde Pública.

Após as falhas constatadas na fiscalização, a Promotoria fez uma série de recomendações à Prefeitura para melhorar a gestão da área. Segundo o MPE, no entanto, as medidas adotadas pela secretaria até agora foram insuficientes e os problemas de desabastecimento continuam.

Mesma avaliação tem os usuários de UBSs visitadas pela reportagem do jornal O Estado de S. Paulo na última quinta, 25. “Já faz uns seis meses que tento retirar o sinvastatina para a minha mãe, mas nunca tem. Ela tem pressão alta, colesterol, diabete, acabou de amputar uma perna e já temos que comprar vários remédios. Com esse que está em falta, é um custo a mais”, reclama a dona de casa Stefane Barbosa, de 18 anos.

A pedagoga Maria de Fátima de Souza Bastos, de 48 anos, também não conseguiu retirar medicamento para a mãe, de 80 anos, que sofre de diabete. “Já me orientaram aqui no posto a comprar porque, mesmo quando chega, o estoque acaba rapidinho”, diz ela, que buscava o cloridrato de metformina.

O secretário municipal da Saúde, Alexandre Padilha, afirma que a falta de remédios é causada principalmente pelo atraso na entrega dos pedidos por parte dos fornecedores e pelo crescimento da demanda. “Aumentamos o número de punições aos fornecedores que atrasam e estamos fazendo uma revisão mensal do consumo médio de cada unidade para planejar melhor as compras”, diz.

Padilha foi convocado para uma reunião no MPE, na terça-feira, 30, para prestar maiores esclarecimentos sobre as medidas adotadas pela Prefeitura para minimizar o problema. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Isto É

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Sistemas de suporte a decisão médica podem fazer toda a diferença na Saúde Pública brasileira

É fato que a saúde pública brasileira é um problema recorrente. Fazer a gestão eficiente …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas