Home / Notícias / SC inclui em seu calendário o Dia Estadual de Prevenção e Informação sobre Esclerose Múltipla

SC inclui em seu calendário o Dia Estadual de Prevenção e Informação sobre Esclerose Múltipla

Santa Catarina inclui em seu calendário de datas o Dia Estadual de Prevenção e Informação sobre Esclerose Múltipla. É o primeiro ano em que o dia 30 de agosto marca a data. O objetivo é conscientizar a população catarinense sobre os males provocados pela doença e as formas de tratamento. O diagnóstico precoce e a prevenção de sequelas permitem mais qualidade de vida para os portadores da doença.

O neurologista do Hospital Regional de São José, Adaucto da Nóbrega Junior, explica que por apresentar sintomas parecidos aos de outras doenças, o diagnóstico da Esclerose Múltipla (EM) é basicamente clínico, complementado por exames de imagem, como a ressonância magnética. “Tonturas que podem sinalizar labirintite e formigamentos ligados à ansiedade são exemplos disso”, destaca o médico.

Anelize Regina da Silva recebeu o diagnóstico aos 31 anos, após o primeiro surto que a deixou tonta, com dificuldade para andar em linha reta e trabalhar. “Lembro que naquele dia, indo para o serviço, as pessoas olhavam para mim com estranheza. Foi quando percebi que eu parecia uma bêbada no meio da rua”, conta a administradora. Até então, Anelize desconhecia a doença e os médicos cogitaram até gravidez. Hoje, aos 39 anos, ela recebe tratamento via oral, mas conta que já tomou medicamentos injetáveis e intravenosos, a fim de abreviar a fase aguda e tentar aumentar o intervalo entre um surto e outro.

Em geral, a doença acomete pessoas jovens, entre 20 e 30 anos, e provoca dificuldades motoras e sensitivas. A esclerose múltipla é uma doença crônica, de surtos imprevisíveis, que atinge o sistema imunológico, fazendo com que este agrida a bainha que recobre os neurônios.

Há oito anos, Anelize disse que havia pouquíssima informação disponível sobre a doença. A causa ainda é desconhecida. Sabe-se, porém, que a evolução difere de uma pessoa para outra e que é mais comum nas mulheres e nos indivíduos de pele branca que vivem em zonas temperadas. As limitações vão além da informação. Aposentada, a paciente não pode se movimentar muito rápido por conta da fraqueza e precisa evitar ambientes fechados ou muito quentes para não passar mal. “Hoje, por meio das redes sociais, eu consigo trocar experiências com outras pessoas que convivem com a esclerose múltipla, e isso facilita muito”, conta.

No ambulatório do Hospital Regional de São José, são tratados cinco pacientes diagnosticados com EM desde dezembro de 2014. O atendimento pelo Sistema Único de Saúde também pode ser feito no Centro de Tratamento da Esclerose Múltipla (CTEM) do Hospital de Caridade, em Florianópolis.

Recomendações

– Embora não altere a evolução da doença, é importante manter a prática de exercícios físicos;

– Quando os movimentos estão comprometidos, a fisioterapia ajuda a reformular o ato motor, dando ênfase à contração dos músculos ainda preservados;

– O tratamento fisioterápico associado a determinados remédios ajuda também a reeducar o controle dos esfíncteres;

– Nas crises agudas da doença, é aconselhável o paciente permanecer em repouso.

Fonte: sc.gov

Sobre Priscila Torres

mm
O diagnóstico de uma doença crônica, em 2006, me tornou, blogueira e ativista digital da saúde. Sou idealizadora do Grupo EncontrAR e Blogueiros da Saúde. Vice-Presidente do Grupar-RP, presidente do EncontrAR. Apaixonada por transformação social, graduanda em Comunicação Social "Jornalismo" na Faculdades Unidas Metropolitanas.

Além disso, verifique

Campanha de multivacinação para regulariza caderneta começa segunda

Começa na próxima segunda (11) a Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização de Caderneta de …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas